domingo, dezembro 18, 2011

Misceleneas de Chanucáh

Joias de Chanucáh

O nome Chanucá, que significa consagração, também pode ser dividido em duas palavras menores. A primeira palavra , chanú, significa eles acamparam ou descansaram; a segunda palavra simboliza o o número 25. O nome da festa contém a data do seu próprio feriado: os macabeus descansaram no dia 25 de Kislêv.

A diferencia entre Menorá e Chanukiá:

A Menorá era o candelabro usado no Templo. Tinha sete braços: três cada lado orientados para o braço central. Eles representavam os sete dias da semana e o Shabat no meio como o centro espiritual.
A menorá de Chanucá, chamada Chanukiá está composta por oito braços para as velas e um adicional chamado shamash que serve para acender aos demais.

Especialidades de Chanucá

Experimente látkes
5 batatas
1 cebola
2 ovos
sal e pimenta a gosto
2 colher de farinha de trigo
óleo para fritar
Ralar as batatas e a cebola. Misturar com os ovos e farinha de trigo. Temperar com sal e pimenta.
Retirar um pouco de massa e fritar em óleo quente até dourar.
Pensamento talmúdico

“ Cuida –te quando fazes chorar uma mulher, pois D”us conta as suas lágrimas. A mulher foi feita da costela do homem , não dos pés para ser pisada, nem da cabeça para ser superior, mas sim do lado para ser igual...debaixo do braço para ser protegida e do lado do coração para ser amada!”.

Alegre-se em Chanucáh veja:

video

video

domingo, dezembro 11, 2011

Cantar e alegrar-se em Chanucáh

Queridos amigos, com muitos de vocês compartilhei muitos Chanucás (acho que se deve dizer assim), com alegrias, com musicas, danças, e muita diversão, hoje muitos estamos longe no físico, porem não no sentimento.

Que vocês acham de imaginar-nos em um abraço virtual, e cantar esta canção que deve ser a essência do judaísmo?

Que nosso próximo Chanucáh estejamos muito mais unidos para cantar e divertir-nos, que possamos reinaugurar nosso pequeno Santuário, e fazer de nossas vidas, uma elevação e uma santidade.  
video


video

video

Festa das Luzes–Chag HaUrim

Chanucáh

Uma menoráh de Chanucáh tem oito braços numa fila reta de igual altura. O shamash (vela auxiliar), usado para acender a menoráh, é colocado mais alto ou à parte das outras. Uma menoráh que funcione com eletricidade pode ser usada como decoração de Chanucáh, mas não cumpre a mitsváh (conexão com D’us) de acendimento da menoráh.

Parte da mitsváh de Chanucáh é a divulgação do milagre de Xacoca, portanto colocamos a menoráh no batente oposto à mezuzáh, ou numa janela, claramente visível do lado de fora. Velas podem ser usadas, mas devido ao seu papel no milagre de Chanucáh, uma menoráh com azeite é especialmente significativa.
Na primeira noite de Chanucáh, reúna a família para o acendimento da menoráh. Antes de acender, recite a bênção apropriada. Utilize o shamash para acender a primeira vela, no extremo direito da menoráh.

clip_image001[1]

Na segunda noite, acenda uma vela adicional à esquerda da vela acesa na noite anterior. Repita o mesmo processo a cada noite de Chanucáh, onde a vela a ser acesa é sempre a nova, procedendo da esquerda para a direita. As velas devem arder durante pelo menos meia hora.
Se uma vela apagar durante o período em que deveria estar ardendo, deve ser reacendida. Na noite seguinte, os pavios e o azeite restantes podem ser reaproveitados.
A luz da Chanukiyá é sagrada e não pode ser utilizada para outro fim, como leitura ou trabalho.

Acendimento na véspera e após o Shabat

Na tarde de sexta-feira, acendemos as velas de Chanucáh pouco antes das velas de Shabat. (No Shabat, o sagrado dia de repouso, é proibido acender uma chama). A Chanukiyá não pode ser tocada ou removida depois de seu acendimento na sexta-feira até sábado após o anoitecer. No sábado, as velas de Chanucáh somente são acesas após o final do Shabat, depois que a prece de Havdaláh é recitada.

Luzes, velas, ação!

Primeiro, acende-se o shamash, depois pronuncia-se as seguintes bênçãos:
1. Baruch Atá A-do-nai, E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, asher kideshánu bemitsvotav, vetsivánu lehadlic ner shel Chanucáh.

clip_image002[1]

Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D'us, Rei do Universo, que nos santificou com Seus mandamentos, e nos ordenou acender a vela de Xacoca.
2. Baruch Atá A-do-nai, E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, sheassá nissim laavotênu, bayamim hahêm, bizman hazê.

clip_image003[1]

Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D'us, Rei do Universo, que fez milagres para nossos antepassados, naqueles dias, nesta época.
Na primeira noite ou pela primeira vez, acrescenta-se:
Baruch Atá A-do-nai, E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, shehecheyánu vekiyemánu vehiguiyánu lizman hazê.

clip_image004[1]

Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D'us, Rei do Universo, que nos deu vida, nos manteve e nos fez chegar até a presente época.

Em seguida, acendem-se as velas da Chanukiyá com o shamash, da esquerda para a direita. Após acender as velas, coloca-se o shamash à esquerda da Chanukiyá de modo que fique mais alto do que as chamas da Chanukiyá, e recita-se:

clip_image005[1]

Hanerot halálu ánu madlikin al hateshuot, veal hanissim, veal haniflaot, sheassíta laavotênu, bayamim hahêm, bizman hazê, al yedê cohanêcha hakedoshim. Vechol shemonat yemê Chanucáh, hanerot halálu côdesh hem, veen lánu reshut lehishtamesh bahen, êla lir'otan bilvad, kedê lehodot ul'halel leshimechá hagadol, al nissêcha, veal nifleotêcha, veal yeshuotêcha.

Nós acendemos estas luzes em virtude das redenções, milagres e feitos maravilhosos que realizaste para nossos antepassados, naqueles dias, nesta época, por intermédio de Teus sagrados sacerdotes. Durante todos os oito dias de Xacoca, estas luzes são sagradas, e não nos é permitido fazer qualquer uso delas, apenas mirá-las, a fim de que possamos agradecer e louvar Teu grande nome, por Teus milagres, Teus feitos maravilhosos e Tuas salvações.